pt
es
en

Imprensa

REDE DE PROGRAMAÇÃO CULTURAL 5 SENTIDOS



Pensada para promover a programação cultural e a produção artística em rede, a 5 Sentidos foi criada, inicialmente, por cinco estruturas culturais do país (em 2009), tendo sido alargada, mais tarde, para 10 parceiros (em 2013). Esta rede de programação cultural surgiu com o intuito de estabelecer uma colaboração mais estreita entre os vários Teatros assente na troca de saberes, processos e experiências de trabalho. Uma estratégia que visa fortalecer o desempenho de todos os parceiros e que permita apoiar os artistas e responder às suas necessidades através de ações concertadas no âmbito da coprodução, dos circuitos de apresentação, das residências, do acompanhamento artístico e das parcerias internacionais.


Os equipamentos que integram esta rede de programação cultural são:
Centro Cultural Vila Flor (Guimarães)
Teatro Micaelense (Ponta Delgada)
Maria Matos Teatro Municipal (Lisboa)
Teatro Nacional São João (Porto)
Teatro Municipal da Guarda
Teatro Académico Gil Vicente (Coimbra)
Teatro Viriato (Viseu)
Teatro Virgínia (Torres Novas)
Centro de Artes de Ovar
Espaço do Tempo (Montemor-o-Novo)
Teatro Municipal do Porto - Rivoli e Campo Alegre


5 SENTIDOS - ESTUDO SOBRE A REDE DE PROGRAMAÇÃO CULTURAL


A rede de programação 5 SENTIDOS disponibiliza o ESTUDO SOBRE A REDE DE PROGRAMAÇÃO CULTURAL elaborado pelo Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. O estudo analisa a atividade da rede 5 Sentidos, centrando-se no período entre 2005 e 2009, durante o qual usufruiu de financiamento no âmbito da medida de apoio às Redes de Equipamentos Culturais – Programação Cultural em Rede (Planos Operacionais Regionais – QREN 2007-2013).


Percorrendo a história da constituição da 5 Sentidos e analisando em detalhe a atividade colaborativa entre os 5 Teatros durante o período considerado, o estudo sonda de forma mais ampla as virtudes, os desafios e os dilemas do trabalho de cooperação cultural em rede. Trata-se, por isso, de um estudo que, incidindo sobre o caso específico da 5 Sentidos, procura simultaneamente ponderar os processos, as dinâmicas e as dimensões críticas que emergem da organização da atividade cultural em rede. Nesse âmbito, concede especial atenção aos condicionalismos que o modelo específico de apoio financeiro (a medida de apoio às Redes de Equipamentos Culturais) impôs a esse modo de organização. Se a sondagem da atividade da 5 Sentidos se revela muito relevante para a compreensão dos processos contemporâneos de reorganização da atividade cultural e artística em Portugal, a avaliação do modelo de financiamento público através do QREN revela-se decisiva para o questionamento do modo como as políticas públicas atuam no domínio cultural, sobretudo aquelas que são dirigidas ao fomento do trabalho cultural em rede.


O estudo encontra-se disponível no ficheiro PDF. > download